Páginas

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Senda


Leva um tempo até percebermos o real
Leva um tempo para descobrirmos a fragilidade de nossas teorias
Leva um tempo para enxergarmos os equívocos de nossas narrativas
Leva um tempo para assumirmos nosso engano

Depois de um tempo buscando sistematizar o impossível, desistimos
Falta-nos a competência de aceitar o absurdo
Falta-nos a fé para aceitar o mistério
Falta-nos humildade para entender que a Verdade não cabe nos nossos conceitos

Quando acordamos do sono da ignorância tudo fica em seu lugar
A alienação dá lugar à contemplação da vida humana
A presunção desaparece e nos percebemos um com o restante
E o silêncio reverente ocupa o espaço das falas tolas dos que nada diziam

Abandonamos as bandeiras
Limpamos o rosto
Desarmamos-nos
E passamos a caminhar apenas como gente que vê no outro um semelhante

Nossas prateleiras são esvaziadas
Os livros das especulações abandonados
Nossa leitura passa a ser da vida
E nossa sabedoria nasce do solo da existência

Esse é o nosso tempo
Tempo de deixarmos os rótulos que nos separam
O que é o negro ou o branco?
O que é o rico ou o pobre?
O que é o homem ou a mulher?
O que é a criança ou o velho?
O que é o religioso ou o ateu?
O que é o pecador ou o santo?
O que é o poderoso ou o fraco?
O que é o hetero ou o homo?
Somos todos seres humanos na jornada de tornamo-nos o que realmente somos

Não há nada mais a se dizer
A única Verdade é o Amor
Pois sem Amor jamais compreenderemos o mistério de sermos todos Um
Mesmo que chamemos a estrada de vários nomes estamos todos no mesmo Caminho
E Aquele que nos criou nos conduzirá para Si

Ivo Fernandes
7 de abril de 2010
Via blog :Ivo Fernandes
Postar um comentário
Related Posts with Thumbnails
Share |